Mesmo que sejam bem estudadas, as doenças autoimunes desafiam as ciências médicas, já que muitas de suas particularidades ainda não estão bem esclarecidas. Contudo, a maioria delas pode ser controlada, e algumas até prevenidas por meio de mudanças no estilo de vida, como a redução do consumo de alimentos industrializados.

Tendo isso em vista, a proposta deste material é trazer valiosas informações sobre as doenças autoimunes. Veja como elas são definidas, quais as mais comuns e as suas principais causas. Conheça, também, as formas de prevenção mais eficazes. Aproveite a leitura!

O que são as doenças autoimunes e por que elas surgem? 

Primeiramente, é preciso entender o que é o sistema imunológico. Esse termo se refere ao conjunto de elementos com capacidade de reconhecer os agentes estranhos ou perigosos antes de efetivar a defesa contra eles. Esse reconhecimento é feito por células específicas, que podem ser comparadas a um exército sempre pronto para a batalha.

Nesse processo de defesa imune, os elementos estranhos incluem, principalmente, vírus, bactérias e outros agentes causadores de doenças. No entanto, em alguns casos, células próprias, órgãos e tecidos transplantados podem ser considerados “corpos estranhos” pelo organismo.

Reação imune

Para que o sistema imunológico seja eficiente, as células dos próprios tecidos do corpo também possuem elementos de defesa. Normalmente, eles reagem apenas às substâncias estranhas ou perigosas. Porém, nas doenças autoimunes, o organismo reage contra as próprias células e tecidos. 

Isso acontece porque o sistema de defesa funciona de forma incorreta, pois considera os próprios tecidos do corpo como agentes estranhos. Esse processo é o principal fator causal das doenças autoimunes, visto que essa situação leva à inflamação e prejuízos ao funcionamento dos órgãos.

Quais são as doenças autoimunes mais conhecidas? 

Algumas dessas enfermidades são mais graves devido ao risco de comprometerem órgãos nobres, como o coração, o pulmão, pâncreas e o sistema nervoso central. Para melhor compreensão do tema, listamos as mais relevantes. Observe quais são!

Artrite reumatoide

Essa doença é classificada como inflamatória crônica e apresenta alto nível de gravidade. Ela afeta muitas articulações, principalmente as da coluna, ombros, cotovelos, mãos, joelhos e pés. Os sintomas incluem dores e rigidez nessas áreas.

Doença de Crohn

É provocada por quadros de infecções virais ou bacterianas. O sistema imune ataca o aparelho digestivo, compromete o seu funcionamento e leva à inflamação crônica de difícil tratamento.

Lúpus

Também resulta do ataque do sistema imunológico aos próprios tecidos do corpo. Os principais sintomas são a inflamação das articulações, mal-estar geral, fadiga, dor de cabeça, perda de peso e alterações na pele.

Vitiligo

Essa doença se desenvolve porque ocorre uma produção inapropriada de anticorpos e linfócitos T, que são as células de defesa do organismo. As manchas brancas aparecem porque o alvo desse ataque são os melanócitos, o pigmento que dá cor à pele.

Psoríase

É uma das doenças autoimunes de mais difícil controle. Nesse quadro, há uma acelerada reprodução das células que formam as camadas da pele. Os sinais mais comuns da psoríase são o espessamento, os processos inflamatórios e a descamação na pele.

Diabetes tipo 1

Doença crônica autoimune que surge porque o pâncreas não consegue produzir quantidades adequadas de insulina. Esse hormônio é responsável pelo controle da glicemia no sangue.

Esclerose múltipla

Nessa doença, o sistema imune destrói a camada protetora dos nervos e causa dores generalizadas em todo o corpo. Além disso, esse processo compromete a inervação de diferentes órgãos e leva à perda progressiva das funções.

Doença celíaca

É causada pela reação imunológica à ingestão da principal proteína encontrada no trigo, o glúten. Pacientes com essa doença precisam adotar uma dieta restritiva e sem glúten. Vale destacar que a cevada e o centeio também têm essa proteína.

Em geral, o que influencia o surgimento dessas doenças?

Como já descrito, ainda não se sabe ao certo as razões que causam as doenças autoimunes. Além disso, existem dúvidas quanto aos fatores que desencadeiam sintomas distintos em pacientes que têm a mesma doença. 

Entretanto, alguns aspectos que levam ao surgimento desses problemas já são conhecidos. Listamos os mais importantes. Confira!

Causas hereditárias

Os fatores hereditários são considerados determinantes para o desenvolvimento de alguns desses quadros. Assim, se houver casos na família, a susceptibilidade é mais elevada. Quem tem maior propensão a essas doenças pode vir a desenvolvê-las em decorrência de uma infecção ou lesão por exemplo.

Tabagismo

O hábito de fumar também é um mecanismo que ajuda a desencadear esse tipo de doença. Isso acontece porque as toxinas presentes na composição do cigarro induzem a alteração das funções orgânicas das células. Com isso, aumenta-se a vulnerabilidade ao desequilíbrio das respostas imunológicas, o que pode induzir o surgimento de doenças assim.

Aspectos psicológicos

A interação entre mente e corpo é um dos critérios mais determinantes para a saúde. Em geral, a estabilidade mental influencia positivamente a saúde física. Do contrário, o risco de desenvolver doenças é maior, inclusive as autoimunes, pois problemas como depressão, ansiedade e estresse crônico abalam o sistema imunológico.

É possível prevenir as doenças autoimunes?

Mesmo que alguns aspectos dessas doenças não sejam passíveis de controle, o ideal é evitar alguns hábitos que podem estimular o desencadeamento delas. Nesse sentido, é importante estar atento às seguintes práticas:

  • manter hábitos de vida saudáveis e evitar alcoolismo e tabagismo;
  • priorizar alimentação balanceada, com pouco sal;
  • fazer atividade física regularmente;
  • controlar o peso corporal para evitar a obesidade;
  • monitorar a pressão arterial e os níveis de glicose;
  • cuidar da saúde emocional;
  • dormir bem, em uma quantidade de horas suficiente para você.

Quais são os tratamentos mais indicados para essas doenças?

Como os problemas autoimunes integram o grupo das doenças crônicas, em geral, elas não possuem cura. Contudo, a maioria dessas doenças pode ser controlada com o acompanhamento médico, tratamento adequado e mudanças na dieta e estilo de vida.

Por fim, vale ressaltar que é possível amenizar os principais sintomas, desde que se faça um acompanhamento regular com o médico especialista. Além disso, a alimentação equilibrada e a suplementação de vitaminas e minerais, como zinco e vitaminas C também podem vir a ajudar bastante no controle das doenças autoimunes.

Gostou deste artigo? Siga as nossas redes sociais e acompanhe mais novidades. Estamos no Instagram e no Facebook!

Encontre na farmácia mais próxima de você ou compre online!